“Como podemos observar as orações Salaat seguindo unicamente o Alcorão?”

FacebookTwitterGoogle GmailShare

“Como podemos observar as orações Salaat seguindo unicamente o Alcorão?”

Edip Yuksel

(Traducido por Pedro Miguel)
www.19.org

 Salat prayer

 

“Como podemos observar as orações Salaat seguindo unicamente o Alcorão?” é uma pergunta favorita entre muçulmanos sunitas e xiitas que seguem textos derivados, ensino religioso, ensinamentos e leis, que são escritos por homens. Com esta pergunta, ambas as seitas tentam justificar a necessidade e a proliferação de ensinamentos contraditórios sectária, cultura árabe medieval, cheia de leis opressivas proibições e regulamentos – todos falsamente atribuídos a Deus e ao Seu profeta.

Como resultado, o monoteísmo é redefinida como uma “sociedade limitada”, no qual o reconhecimento e submissão a Deus tornam-se um paradoxo, uma contradição nos termos em que outros “parceiros” são submetidos e aceites por esses “crentes”. O mais comum set-up para sunita shirk é: o Alcorão (Deus) + hadiths e sunnah (mensageiro) + a prática dos companheiros do Profeta + a prática dos companheiros dos companheiros do Profeta + a opinião dos imams (qiyas e ijtihad) + consenso “ulama” em uma seita particular (ijma ‘) + os comentários e opiniões dos seus alunos + os comentários e opiniões dos primeiros “ulama” + os comentários e opiniões de mais tarde “ulama” + a fatwas de vida “ulama. ”

Na versão xiita “shirk”, além dos parceiros acima mencionados, os 12 Emams Infalíveis (todos os parentes e os descendentes do profeta Maomé começando com Ali) e Emam substituto vivo é adicionado ao conselho de administração da Parceria Sagrado Limitada. O Alcorão é considerado geralmente um livro ambíguo e é basicamente usado para a justificação deste “shirk”, isto é, estabelecendo parcerias com Deus. (Para uma discussão extensa sobre o assunto consulte “19 Perguntas Para estudiosos muçulmanos” no http://www.moslem.org/yuksel).

Islam, que significa submissão, é o estado de espírito de todas as pessoas que se submetem a Deus. Todos os mensageiros, Noé, Abraão, Moisés, Salomão, Jesus e todos os monoteístas anteriores foram Submissos (2:131; 5:111; 7:126; 10:72,84; 22:78; 27:31,42,91; 28 : 53; 72:14). Assim, a única religião aprovada por Deus é a submissão a Deus (3:19). É Deus Todo-Poderoso que usa esse atributo para descrever aqueles que se submetem a Sua lei (22:78). O Islã é referido como a “religião de Abraão” em muitos versos desde que os adoradores de ídolos de Meca foram alegando que eles estavam seguindo seu pai Abraão (2:130,135; 3:95; 4:125; 6:161; 12:37-38; 16:123; 21:73; 22:78). E Maomé era um seguidor de Abraão (16:123).

Ignoram o fato de que Ibrahim practicava as orações de contato (21:73), muitos muçulmanos contemporâneos desafiam Deus, perguntando onde podemos encontrar o número de unidades em cada oração de contato. Ignoram o fato de que Deus afirmou que Quran está completo (6:11-116), eles não “reparam” que todas as práticas religiosas de Submissão / Monoteísmo foram estabelecidas e praticadas antes da revelação do Alcorão (8:35; 9:54; 16:123; 21:73; 22:27; 28:27). Mensageiros anteriores a Abraham praticavam Salaat, a caridade obrigatória e o jejum (2:43; 3:43; 11:87; 19:31,59; 20:14; 28:27; 31:17).

Os mushriks de Meca costumavam acreditar que eles eram seguidores de Abraão. Eles não estavam adorando “estátuas” ou “ícones” como alegado pelos fabricantes de hadith, mas eles estavam orando para “Shafaat” (intercessão) de alguns nomes de santos, como al-Lat, al-Uzza, e al-Manaat (53: 19-23). Assim, ao contrário da sua afirmação falsa de ser monoteístas (6:23), eles foram acusados ​​de serem “mushrik” ou de associar parceiros a Deus (39:3).

Estudiosos sunitas e xiitas, posteriormente fabricaram histórias numa tentativa de apagar quaisquer semelhanças entre eles e os mushriks, mas ao fazê-lo exposeram as suas próprias mentiras inerentes descrições contraditórias dos estatutos (Por exemplo, veja o livro clássico de Al Kalbi-sobre estatutos: Kitab- ul Asnam). Os Mushriks de Meca que se orgulhavam da lenda de Abraão não poderiam praticar a observância literal da idolatria; eles estabeleceram uma armadilha satânica mais metafísica por aceitarem a intercessão e as proibições religiosas criadas pelo Homem (6:145-150; 39:3). Eles eram metafísicos ou adoradores de ídolos espirituais.

Os Mushriks de Meca, durante a época do Profeta Muhammad (a paz esteja com ele) respeitavam a Masjid Sagrada construída por Abraão (09:19). Eles praticavam as orações de contato, o jejum e a peregrinação (2:183,99; 08:35 o significado deste verso é deliberadamente distorcida nas traduções tradicionais; 09:54; 107:4-6). Embora soubessem do Zakat (caridade obrigatória) não estavam cumprindo a sua obrigação (53:34). Durante o tempo doas pessoas Profeta Muhammad as pessoas sabiam o significado de “Salaat”, “Zakat”, “Sawm”, e “Hajj”. Elas não eram palavras estrangeiras.

Deus enviou o Alcorão na sua língua. Tal como acontece com cada livro precedente, a revelação foi dada no seu tempo, na lingua das pessoas que receberam a revelação. Deus ordena e revela de uma forma que pode ser tanto entendida e seguida, e então Ele detalha as Suas exigências ao seu povo através do Seu livro (16:103; 26:195). Além disso, se Deus quiser adicionar um novo significado para uma palavra conhecida, Ele nos informa. Por exemplo, a palavra árabe “al-din” em 1:04 é explicado em 82:15-19.

16:123 este verso é uma prova direta de que todas as práticas religiosas no Islã estavam intactas quando Muhammad (a paz esteja com ele) nasceu. Assim, ele foi chamado para “seguir a religião de Abraão.” Se eu pedir-lhe para andar de bicicleta, presume-se que você sabe o que é uma bicicleta e você sabe ou aprende com os outros como montá-la. Da mesma forma, quando Deus ordenou a Muhammad (a paz esteja com ele) para seguir as práticas de Abraão (16:123), tais práticas deviam de ser bem conhecidas.

No entanto, contrariamente à crença popular, o Alcorão detalha as orações de contato. Embora nem o Alcorão nem livros hadith contenham ilustrações para salaat ou clipes de vídeo mostrando como os profetas praticavam salat, o Alcorão descreve a oração. A descrição corânica do Salaat é muito superior pelas seguintes razões:

1. A língua do Alcorão é superior à linguagem das hadiths. Hadiths são coleções de narrações contendo numerosos dialetos diferentes e são afectadas por problemas linguísticos crônicos e endêmicos . A língua do Alcorão é muito mais simples como testemunhado por aqueles que estudam tanto o Alcorão como a Hadith. A eloquência da língua do Alcorão é enfatizada no Alcorão com uma pergunta retórica repetida (54:17, 22, 32, 40).

2. Os Livros Hadith podem conter mais detalhes. Mas serão esses detalhes úteis e consistentes com o Alcorão? Como é que um crente pode decidir entre as informações conflitantes? Será que ele só escolhe a palavra do seu Imam favorito? Se seguirmos as palavras de um imam favorito, isso significa que estamos realmente seguindo a prática do profeta? Por exemplo, você pode encontrar dezenas de hadiths em Sahih Muslim narrando que o Profeta Muhammad (a paz esteja com ele) inclinava-se para ler al-Fatiha, sem ler nenhuma versículos adicionais do Alcorão. Você vai encontrar muitos outros hadiths alegando que o Profeta lia este ou aquele capítulo, depois da al-Fatiha. Há também muitos hadiths conflitantes sobre a ablução, que é a fonte de rituais diferentes entre seitas. Hadith, não pode guiar-nos para a verdade. Tornou-se um mal necessário para os crentes ignorantes e líderes comunitários que pretendiam manipulá-los.

3. Os Livros de Hadith narram uma história boba sobre os tempos de oração Salaat e sua ordenança. A história da Mirage é uma das mais longas hadiths na Bukhari. Consta que, depois de receber conselhos de Moisés, indo para cima e para baixo entre os sexto e sétimo céu, Muhammad negociou com Deus para reduzir o número de orações a partir de 50 vezes por dia (uma oração para cada 28 minutos) a 5 vezes por dia. Este hadith retrata Maomé como um líder sindical compassivo a salvar seu povo da demanda impiedosa e impossível de Deus.

ORAÇÃO Salat acordo com o Alcorão

Praticar a oração Salaat é freqüentemente mencionada junto com praticar a caridade e, assim, enfatizar a consciência social e responsabilidade comunal de quem observa a oração (2:43,83,110; 4:77; 22:78; 107:1-7).

A oração Salaat é usada para comemorar e lembrar de Deus sozinho (6:162; 20:14). Esta lembrança protege os Submissos dos pecados e de prejudicar outros(29:45). O Salaat deve ser observado continuamente até á morte (19:31; 70:23,34).

Ablução

Para observar a oração deve-se fazer a ablução (4:43; 5:6). Ablução é anulada apenas por relações sexuais ou ao urinar ou defecar. Ablução permanece válida mesmo se passou gás, apertou as mãos com o sexo oposto, ou uma mulher menstruada. A mulher menstruada pode observar orações contato, ao contrário das supersticiosas crenças culturais (5:6; 2:222; 6:114-115).

Código de vestir

Não existe um código de vestimenta especial para a oração, de fato, se você quiser você pode orar nu em sua privacidade. Cobrir o nosso corpo é uma necessidade social e cultural que tem como objetivo nos proteger de mal-entendido, do assédio e das indesejadas conseqüências (7:26; 24:31; 33:59).

Tempos de oração

Alcorão menciona três períodos de tempo em conjunto com a oração Salaat. Em outras palavras, o Alcorão qualifica a palavra “Salaat” por três diferentes palavras temporais: (1) Salaat al-Fajr (oração da manhã), (2) Salaat al-Esha (Oração da Noite), (3) Salaat al-Wusta ( Médio / Oração Noon). A oração da manhã (24:58) e oração da tarde(24:58) deve ser practicada em ambas as extremidades do dia, isto é, início da noite (11:114) e da Oração Médio (2:238). (Discutiremos os tempos de orações Salaat mais tarde em detalhe no final deste artigo).

Para direção de Oração

Para a oração é preciso enfrentar o Masjid Sagrado construído por Abraão, a Caaba (2:125, 143-150; 22:26). Para encontrar o qibla corrigir uma pessoa deve ter em mente que o mundo é um mundo, muito diferente do mapa plano de Mercator. Desde a oração durante a emergência e o medo é reduzido a uma unidade, em condições normais, a oração deve ter pelo menos duas unidades e durante a oração deve-se reduzir drasticamente a sua / seu contato com o mundo externo (4:101-103). Orações, ao contrário de jejum, não podem ser realizadas mais tarde, pois elas devem ser observados na hora certa (4:103).

Oração congregacional

Crentes, homens e mulheres, uma vez por semana são convidados a um determinado local para rezar juntos a cada dia Juma (Congregacional). Eles voltam ao seu trabalho e programação diária normal após a Oração Congregacional que pode ser liderada por um homem ou uma mulher (62:9-11). As mesquitas ou masjids deve ser dedicadas a Deus, portanto, o convite deve ser restrito para adorar a Deus sozinho, e nenhum outro nome deve ser inscrito nas paredes de mesquitas e ninguém menos que Deus deve ser comemorado (72:18-20) . Aqueles que vão para masjids devem vestir-se bem pois as masjids são para adoração e reuniões públicas (07:31).

Posição Para Oração

Deve-se começar a oração Salaat na posição de pé (2:238; 3:39; 4:102) e não deve mudar a sua / seu lugar, exceto em circunstâncias incomuns, como durante um percurso ou condução (2:239). Submissão a Deus deve ser declarada física e simbolicamente, primeiro curvando e prostrando (4:102; 22:26; 38:24; 48:29). Este ritual físico não é necessário nos momentos de emergências, de medo, e circunstâncias não usuais (2:239).

Compreensão e propósito da oração

Devemos compreender o significado de nossas orações, pois estes são os momentos em que nos comunicamos diretamente com Deus (4:43). Devemos ser reverentes durante as orações do nosso contato (23:2). Junto com a compreensão do que dizemos, nós podemos recordar um dos atributos de Deus, dependendo da nossa necessidade e condição durante o tempo da nossa oração (17:111). A oração é para comemorar a Deus, e Deus sózinho (6:162; 20:14; 29:45). A oração é para louvar, exaltar e lembrar a Sua grandeza, Sua Misericórdia e, finalmente, a nossa dependência em cada um desses atributos (1:1-7; 20:14; 17:111; 02:45). De modo que mencionar outros nomes além de Deus contradiz o nosso amor e dependência Dele (72:18; 29:45).

Durante a recitação da oração Salaat

Preferindo o Alcorão para recitação tem benefícios práticos desde os crentes de todo o mundo podem rezar juntos sem discutir em qual idioma escolheu ou que tradução usar. O capítulo al-Fatiha (A Abertura) é o único capítulo que trata de Deus em sua totalidade e é uma oração apropriada para Salaat. Para os não-árabes não deve ser muito difícil de aprender o significado das palavras em al-Fatiha, uma vez que consiste em sete versos curtos. Aqueles que são incapazes de aprender o significado de al-Fatiha devem orar na língua que ele ou ela entende. Eu não vejo nenhuma razão prática para recitar em árabe durante as orações observadas individualmente.

Devemos recitar orações Salaat em tom moderado, e não devemos tentar esconder as nossas orações nem tentar orar em público para manifestação política ou religiosa (17:111). Se for observada com a congregação, devemos ouvir a recitação dos homens ou das mulheres que conduzem a oração (7:204; 17:111). Depois de completar a oração Salaat, devemos continuar lembrança de Deus (4:103).

Unidades de Oração

O Alcorão não especifica qualquer número de unidades para as orações. Ele deixa a nosso critério. As unidades da Oração Congragational são 2 está revelando, uma vez que é mais provável que seja preservada precisamente.

Oração funeral

Orações fúnebres não são obrigatórias. Elas são observadas para recordar aqueles que morreram como monoteístas e fornecer o apoio da comunidade para seus parentes.

Inovações sectária

Há muitas inovações sectária que diferem de seita em seita. Algumas das inovações são: combinar os tempos de oração, realizando as orações omitissas no seu tempo adequado, encurtando as orações durante as viagens normais, acrescentando orações extras, como “sunnah” e “nawafil,” inovando o pagamento a um clérigo para liderar as orações , proibindo as mulheres de liderar a orações, ao sentar-se recitar uma oração “no-Tahiyatu”, que aborda o profeta Maomé como ele está vivo e onipresente, adicionando o nome de Maomé à Shahada, recitando zumm-us Sura (capítulos extra) após o al -Fatiha, entregando-se a argumentos sectários em detalhes de como segurar suas mãos e dedos, lavando a boca eo nariz como elementos de tomar ablução, escovar os dentes com “misvak” (um galho seco de uma arvore batido em fibras numa extremidade como  escova de dentes) mesmo antes de iniciar as orações, vestir turbantes ou lenços para receber mais créditos …

Quantas orações POR DIA?

Apenas três Orações de contato são mencionados pelo nome no Alcorão. Em outras palavras, a palavra “salaat” é qualificada com palavras descritivas em três instâncias. Estas são:

    1. Salaat al-Fajr-ORAÇÃO DAWN (24:58; 11:114).

    2. Salaat-al-Esha NOITE DE ORAÇÃO (24:58; 17:78; 11:114)

    3. Salaat al-ORAÇÃO Wusta-MEIO DIA (2:238; 17:78)

Todos os versos que definem os tempos das orações são atribuíveis a uma dessas três orações. Agora vamos ver os versículos relacionados:

DAWN & NOITE ORAÇÕES pelos seus nomes:

“Esta deve ser feita em três instâncias:…… Antes da oração da alvorada, ao meio-dia quando você muda sua roupa para descansar, e após a oração da noite” (24:58).

Por outro uso da palavra “esha” (à noite) ver: 12:16; 79:46

Os tempos de ORAÇÕES TARDE & NOITE definidos:

“Você deverá observar as orações de contato em ambas as extremidades da luz do dia, isto é, durante as horas ao lado da noite…” (11:114)

Tradutores tradicionais e comentaristas consideram a última cláusula “Zulfan minal layl” deste versículo como uma oração separada, mencionando a “noite” de oração. No entanto, consideramos que a cláusula não como um complemento, mas como uma explicação da cláusula anterior ambígua, que explica a direção temporal do fim do dia. Os limites da “Nahar” (luz do dia) é marcada por dois pontos distintos: o nascer e o pôr do sol. Em outras palavras, duas orações devem ser observadas não apenas depois do sol nascer e antes dele se pôr, mas antes e depois do anoitecer.

Além disso, o entendimento tradicional depara-se com o problema de contradizer a prática da tradição que pretende promover. Tradicionalmente, tanto orações da manhã e à noite são observadas num período de tempo que Quranicamente é considerado “Layl” (noite) desde Layl começa a partir do pôr do sol e termina ao nascer do sol. A palavra “Layl” em árabe é mais abrangente do que a palavra “noite” usada em Inglês.

Se a expressão “tarafayin nahar” (ambas as extremidades do dia) refere-se à manhã e à noite que fazem parte da “Layl” (noite), então, a última cláusula não pode estar descrevendo um outro tempo de oração.

O tempo de oração e NOON NOITE definido.

“Você deve observar a oração de contato desde o declínio do sol até à chegada da noite, e cumpre a recitação matinal, porque é sempre testemunhada.(17:78).

O declínio do sol pode ser entendido tanto o seu declínio a partir do ápice marcando o início da oração Noite ou seu declínio por trás do horizonte, marcando o início da oração do final da tarde. Há duas teorias opostas sobre a finalidade do uso de “duluk” (esfregar) no verso, no entanto, nenhuma delas irá contradizer a idéia de orar 3 vezes por dia uma vez que tanto a do meio-dia e da noite são aceites.

ORAÇÃO DO MEIO DIA(Noon)

“Você deve sempre observar as orações de contato, especialmente ORAÇÃO do meio dia, e dedicar-se totalmente a Deus.” (2:238).

38:32 este verso implica que o tempo da oração do Meio dia termina com o pôr do sol.

Podemos facilmente compreender a oração do meio como uma oração entre as duas outras orações mencionado pelo nome (pôr do sol e à noite).

O Antigo Testamento tem pelo menos três versos referindo-se às Orações de contacto (Salat) e confirmam esse entendimento. Embora não possamos confiar nas traduções da Bíblia literalmente, mas não podemos considerá-los como erros já que a consistência interna e externa das passagens bíblicas sobre as Orações de contato são impressionantes.

“E logo que o rapaz tinha ido embora, David surgiu de um lugar para o sul, e caiu com o rosto em terra, e inclinou-se três vezes: e eles se beijaram um ao outro, e choraram um com outro, até que David se excedeu . ” (1 Samuel 20:41)

“Quanto a mim, clamo a Deus, e o Senhor me salvará à tarde e de manhã e ao meio-dia, orarei, e clamarei, e ele ouvirá a minha voz.”. (Salmo 55:16-17) (PS: clamando aparentemente significa orar com paixão).

“Quando Daniel quando soube que o edito estava assinado, entrou em sua casa (ora havia no seu quarto janelas abertas do lado de Jerusalém), e três vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças diante do seu Deus, como também antes costumava fazer.” (Daniel 6:10)

Os seguidores da seita xiita observam cinco orações em três tempos: manhã, tarde e noite. Esta prática estranha, talvez, foi o resultado de um compromisso histórico com os sunitas dominantes que practicavam cinco vezes por dia.

FacebookTwitterGoogle GmailShare